ARY BARROSO – SAMBA EXALTAÇÃO

POR QUE ARY BARROSO FOI PRECURSOR DO SAMBA EXALTAÇÃO

Ary Barroso, precursor do samba exaltação – porque estávamos na era do Estado Novo e o governo estimulava os ideais nacionalistas. O samba então recebia estimulo como um símbolo nacional. Conta-se que numa noite chuvosa, quando não pode sair, sentou-se ao piano e compôs  Aquarela do Brasil, seu samba mais famoso. Compôs também na mesma noite a música ‘Três Lágrimas’ antes que a chuva acabasse. Aquarela do Brasil ganhou como melhor canção do século XX. Foi a segunda música mais gravada do Brasil em todos os tempos.

ARY E SUA INFÂNCIA

Nasceu em Ubá Minas Gerais, filho de João Evangelista Barroso e Angelina de Resende. Seu pai era promotor público e deputado estadual. Aos seis anos ficou órfão de pai e mãe. Sua mãe morreu de tuberculose e seu pai logo em seguida, também morreu vitimado pela mesma doença. A avó materna Gabriela Augusta de Resende e sua Tia Ritinha se encarregaram de cuidar da criança. Ele fez os estudos dos primeiros anos escolares na Escola Pública Guido Solero e no Externato Mineiro do Prof. Cícero Galindo. Depois de passar por várias escolas da Zona da Mata acabou por concluir o curso no Ginásio Básico de Cataguases. Tia Ritinha era professora de piano e complemetou os seus estudos com aulas de piano.

ARY E SUA TRAJETÓRIA MUSICAL

Ele aprendeu teoria, solfejo e piano com a tia Ritinha. Com doze anos já tocava bem e desta forma começou a trabalhar como pianista auxiliar no Cinema Ideal, em Ubá. Além disso, aos treze anos trabalhou como caixeiro da loja “A Brasileira”. Mas por outro lado a música fazia parte da sua vida e com quinze anos fez a primeira composição, denominada “De longe” – um cateretê. O cateretê é uma dança de origem indígena que os os missionários na época da colonização a aproveitaram para as festas católicas.

A HERANÇA

Sabino Barroso seu tio era ex-ministro da Fazenda; morreu em 1920 e deixou uma herança de 40 contos de Reis. Foi com essa herança que mais tarde ele se animou de ir para o Rio com o objetivo de estudar direito. Ficou sob a tutela de Dr. Carlos Peixoto. Aprovado no vestibular em 1921 na Faculdade Nacional de Direito na Universidade Federal do Rio de janeiro (UFRJ), iniciou seus estudos. Porém Ary gostava da boemia e frequentava os melhores lugares; chegava nos botecos com os amigos e ali ficavam comendo, bebendo whisky, conversando e cantando. Consequentemente não levou muito a sério os estudos, e no segundo ano reprovou-se e abandonando então a Faculdade. E por fim suas economias acabaram e ele teve que arranjar emprego naquilo que sabia fazer: tocar piano.

A CARREIRA

Empregou-se no Cinema Íris. Naquele tempo do cinema mudo havia um músico tocando durante a apresentação. Mais tarde trabalhou na sala de espera do Teatro Carlos Gomes na Orquestra do Maestro Sebastião Cirino. Trabalhava como pianista, mas resolveu retomar os seus estudos de direito em 1926. Tocava na orquestra do Maestro J. Spina, de São Paulo. Nessa época, Ary frequentemente se dedicava à composição. Compõe “Amor de mulato”, “Cachorro quente” e “Oh! Nina”, em parceria com Lamartine Babo. Em 1929 enfim, obtém, finalmente, o bacharelado em Ciências Jurídicas e Sociais. Teve nesta época muito incentivo de seu colega de Faculdade Mário Reis. Compôs e gravou “Vou a Penha” e “Vamos deixar de intimidades”, que se tornou o primeiro sucesso popular. Ele compôs estilos variados: xotes, foxtrotes, choros, marchas e sambas

O SUCESSO

Ele foi o precursor do samba exaltação

Os Estúdios Disney lançaram um filme de animação Saludos Amigos com um musical de Aquarela do Brasil e a canção ganhou reconhecimento internacional com mais de um milhão de execuções nas rádios estadunidenses. Recebeu uma letra em Inglês gravada por Frank Sinatra e por cantores do mundo todo. Foi o precusor do samba exaltação ao usar frases de ufanismo para o nosso País. Da mesma forma Ary Barroso venceu o “Grande Concurso de Música Popular”. Ganhou a marchinha “Dá Nela”, com o prêmio de cinco contos de réis. Compôs tamém No Tabuleiro da Baiana, Na Baixa do Sapateiro, Boneca de Piche, No Rancho Fundo, Camisa Amarela, Os Quindis de Yayá e Rio de Janeiro.

Grupo Grandes Sambistas 4 em 1

A CRÍTICA

A letra de Aquarela do Brasil

Sua composição de Aquarela do Brasil porém, sofreu críticas. Além do nacionalismo exacerbado, a letra também sofreu críticas pelo seu vocabulário. Palavras pouco comuns como inzoneiro (sonso), merencória (melancólica), sestrosa (sensual) e trigueiro (moreno) tornaram difícil a compreensão de uma música que se pretendia popular. Alguns versos receberam censura e Ary teve que ir até o DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) para justificar o porque do uso de algumas palavras, defendendo a liberdade poética e a necessidade de fazer parte da composição. Apesar da crítica e da censura a música acabou fazendo grande sucesso e tornou o Brasil conhecido lá fora pela beleza da canção.

O SUCESSO INTERNACIONAL

Recebeu o diploma da Academia de Ciências e Arte Cinematográfica de Holliwood pela trilha sonora do longa metragem “Você foi a Bahia?” de Walt Disney. (1944). Compôs a canção Rio de Janeiro indicada para o Oscar na categoria de Melhor Canção Original. Carmen Miranda divulgou lá fora muitos sucessos de Ary Barroso e gravou trinta músicas. Os Estudios Disney lançaram um filme de animação Saludos Amigos (veja abaixo) com um musical de Aquarela do Brasil e a canção ganhou reconhecimento internacional com mais de um milhão de execuções nas rádios estadunidenses. Recebeu até uma letra em Inglês que Frank Sinatra gravou. Cantores do mundo todo também a gravaram.

ARY BARROSO RADIALISTA

Como radialista apresentava a partir de 1943 o programa ‘A hora do calouro‘, na Rádio Cruzeiro do Sul do Rio; como não havia televisão naquela época, os programas de rádio faziam muito sucesso. Os candidatos só chegavam ao fim da apresentação, se aprovados, contudo se houvesse alguma falha eram “gongados” e o candidato se retirava em seguida. Através desse programa revelaram-se muitos talentos musicais. Além disso Ary era fanático pelo flamengo, dessa forma tornou-se também locutor esportivo e houve muitos momentos peculiares na sua narração. Quando seu time estava jogando e o adversário fazia gol ele se virava de costas e gritava; -Eu nem quero ver! em seguida gritava um gol quase inaudível. E quando o time dele fazia gol ele gritava com muita ênfase.

MORTE E HOMENAGENS

Ary Barroso morre no Rio de Janeiro em 1964. Deixou assim, cerca de 264 composições que se tem conhecimento. Aquarela do Brasil até hoje rende a admiração de todos que a ouvem. Dentre as homenagens póstumas dedicadas ao compositor, estão estátuas em sua homenagem na sua cidade natal, Ubá, e no Rio de Janeiro, onde morou boa parte de sua vida. Sua família atualmente tenta montar um museu em sua homenagem com seu acervo, com peças colhidas nas duas cidades

A INSPIRAÇÃO DE ARY BARROSO

Ary Barroso explicou a sua inspiração ao compor Aquarela do Brasil:

Senti, então, iluminar-me uma ideia: a de libertar o samba das tragédias da vida, do sensualismo das paixões incompreendidas, do cenário sensual já tão explorado. Fui sentindo toda a grandeza, o valor, a opulência da nossa terra, gigante pela própria natureza.

Fonte:

Não percam a proxima postagem: ZEQUINHA DE ABREU

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.