JACOB VAN EYCK E OS CARRILHÕES

Anna Stegmann tocando obras de Jacob Van Eyck

JACOB VAN EYCK E OS CARRILHÕES

JACOB VAN EYCK E OS CARRILHÕES: saiba porquê e como ele trabalhava com os carrilhões – Jonkheer Jacob Van Eyck era deficiente visual, mas conhecia bem a música e desenvolveu uma pesquisa para a afinação dos sinos. E os Irmãos Hemony tinham a técnica para concretizar na prática os conhecimentos de Van Eyck.

QUEM ERA VAN EYCK

Jacob Van Eyck provavelmente nasceu na pequena cidade de Heusden, pertencente à Holanda. Ele era um nobre holandês. A data do seu nascimento é desconhecida. Viveu entre 1589 ou 1590 a 1657. Ele foi um dos músicos mais conhecidos da Idade de Ouro da Holanda, trabalhando como carrilhão e técnico, organista, flautista e compositor. Tanto seu pai, Goyart van Eyck, quanto sua mãe, Heilwich Bax, eram de origem nobre. Jacob era um dos cinco filhos. Como a data precisa de seu nascimento era desconhecida, em um ato ‘civil’ em janeiro de 1628, ele jurou perante um tabelião de Utrecht que tinha “cerca de trinta e oito anos”. Viveu sempre com a mãe, talvez pelo fato de ter nascido cego e perdeu seu pai na primeira infância.

IDADE DE OURO DA HOLANDA

Essa Idade de Ouro ocorreu no séc. XVII. Neste período a Holanda cresceu como potência mundial: comércio, ciência, arte e forças armadas estiveram entre as mais famosas do mundo. Na Holanda havia liberdade religiosa e este fato atraiu muitas pessoas que eram perseguidas em seus próprios países. A pintura e a música tiveram grande desenvolvimento. Havia música em casa, nas igrejas, nos palácios reais, nos salões de dança e nas tabernas; havia música nos festivais e nos eventos oficiais. As mulheres, crianças e jovens tinham aulas de música. Existiam os “Collegium Musicum” e neles um músico profissional ensinava a todos. Os instrumentos eram considerados objetos de ‘status’ na sociedade. As pinturas de Rembrandt e outros pintores retrataram então, pessoas tocando flauta. Jacob Van Eyck cresceu assim neste ambiente e acrescentando seu talento natural, tornou-se uma grande referência neste período.

JACOB VAN EYCK E OS CARRILHÕES

O QUE É UM CARRILHÃO

Então, o que é um Carrilhão? É uma conjunto de sinos de tamanhos variados. Os sinos ficam normalmente nas torres das Igrejas ou Conventos. Junto com os Órgãos de Tubos, os Carrilhões são considerados os maiores intrumentos do mundo. Cada sino produz uma nota musical e os sinos devem ser afinados perfeitamente para quando tocarem, produzirem a música. Um carrilhão com 23 sinos tem duas oitavas de notas. Os maiores carrilhões têm 77 sinos: seis oitavas de notas. Com o desenvolvimento da música polifônica Van Eyck fez várias investigações e conseguiu definir sobre os intervalos parciais que os sinos deviam formar em conjunto; conseguiu definir quais notas os sinos deviam percutir; com isso conseguiu interessar os fundidores Irmãos Hemony. Ele os ensinou como afinar os sinos.

O TRABALHO DE VAN EYCK

OS CARRILHOES E JACOB VAN EYCK

Van Eyck foi trabalhar na cidade de Heusden; lá havia um carrilhão, na torre da prefeitura. Propôs então melhorar os sinos da Câmara Municipal de Utrecht. Ele devia trocar as cravelhas do tambor mecânico do carrilhão; então tocava o instrumento para conferir o efeito. Fez logo depois, uma viagem a Utrecht, para melhorar o carrilhão da torre ‘Dom‘, a torre de igreja mais alta da Holanda. Coletou então, seis sinos existentes em outros lugares de Utrecht para expandir o carrilhão, que tinha apenas 12 sinos. Os sinos precisavam por fim, serem afinados. Em 1626 ele melhorou o carrilhão da cidade de Haia. Logo depois, foi-lhe confiada a supervisão técnica dos sinos de todas as igrejas paroquiais de Utrecht e da Câmara Municipal, ganhando assim o título de ‘Diretor dos sinos‘. Seu salário foi aumentado para 500 florins. Ele melhorou também os sinos da Igreja de St James.

‘TORRE DOM’ EM UTRECH ONDE TRABALHOU VAN EYCK

JACOB VAN EYCK E OS CARRILHÕES

COMO AFINAR OS SINOS

Van Eyck afirmava que não era possível afinar adequadamente os sinos durante a fundição; precisava de ajustes para afina-los. Os irmãos Pieter e François Hemony iam fundir um novo carrilhão para a torre Wijnhuis. Van Eyck era o consultor. Ele convenceu os Irmãos Hemony a afinar seus sinos de acordo com suas pesquisas. Para alcançar isso, François fundiu os sinos do carrilhão um pouco mais espessos para que fossem desbastados durante a afinação. Colocava em um torno girando por cinco ou seis homens para garantir a afinação. Em seguida, ele desbastava o interior com um cinzel para afinar as cinco notas principais. Os Irmãos Hemony rapidamente ficaram famosos, devido ao conhecimento adquirido e foram então, cobiçados em toda a Europa por décadas. Isso graças acima de tudo, ao conhecimento e talento do consultor Jacob Van Eyck.

O PROFESSOR JACOB VAN EYCK

Van Eyck se tornou então professor e ensinou carrilhão às crianças. Ele usava um teclado com 30 sininhos, o que o ajudava a ensinar seus alunos. Muitos de seus contemporâneos, como René Descartes, Isaac Beeckman e outros cientistas admiravam seu conhecimento de acústica, fundição e afinação de sinos e como tocar sinos; eles vieram a Utrecht para estudar com ele. René Descartes escreveu uma carta ao teórico musical francês Marin Mersenne e descreveu então nela a capacidade de Van Eyck de isolar sons de sino.

SUA CARREIRA NA FLAUTA DOCE

Van Eyck também era um habilidoso interprete de flauta doce. Paulus Matthysz publicou em 1644 Euterpe oft Speel-goddinne I de Van Eyck, uma coleção de variações sobre canções populares da época para flauta doce. Mais tarde, se chamou Der Fluyten Lust-hof I (traduzido como “O Jardim de Prazeres da Flauta“). Logo depois, publicou outro volume subsequente: Der Fluyten Lust-hof II. Houve uma terceira e última publicação de Der Fluyten Lust-hof III. Afinal, sua virtuosa música solo de Der Fluyten Lust-hof é um desafio para flautistas de todo o mundo e mostra a gradiosidade do talento dele. É uma série de variações sobre canções folclóricas, canções para danças, músicas de igreja e salmos somando 143 músicas para solo de flauta doce. O capítulo cinco explora a relação entre a flauta e as práticas de carrilhão.

VAN EYCK E SUA OBRA

Os músicos Paulus Matthijsz, Jacob van Noordt, Johan Dicx e Pieter de Vois eram contemporâneos de Van Eyck. Ao escrever a sua obra, Van Eyck incluiu também trechos das obras incomparáveis desses grandes compositores da sua época; fez assim, inúmeras variações sobre os temas compostos por eles. Com sua habilidade e performance Van Eyck incluiu nos últimos quatro capítulos, aspéctos da sua prática e performance; incluia nestas obras, elementos relacionados ao tempo e ornamentação da música. A sua obra é um desafio mesmo aos mais renomados intérpretes. Ele ganhou então, muita admiração na sua época e dessa forma, até hoje é considerado como um brilhante virtuoso flautista.

CURIOSIDADES

Umberto Eco, escreveu uma obra de nome A Ilha do Dia Anterior‘: é uma história de aventura em que o personagem, Roberto, naufraga e acaba num navio holandês de nome Daphne. Andando por lá, entrou em uma catedral muito bonita que irradiava imensa paz. Apenas um único som se ouvia. Numa capela, um homem, sozinho num canto tocava uma flauta doce e tinha os olhos fixos apenas no vazio. Era um homem cego; era o mestre dos sinos. Ele explicou que seu instrumento reagia às estações e à temperatura da manhã e do pôr do sol; o calor da igreja garantia à madeira a perfeição no som. Esta descrição de Umberto Eco mostra que ele conhecia a obra de Van Eyck; parecia ser o retrato da vida dele. O capítulo 7 de seu livro tem o nome de ‘Pavae Lachryme‘. Daphne e Pavae Lachrymae são nomes de obras dele.

JACOB VAN EYCK E OS CARRILHÕES

SUA PARTIDA

Faleceu em 26/03/1657. Depois que ele morreu os sinos da Igreja Sint Janskerk, o Jacobikerk – Igreja Protestante, e a Torre Dorn tocaram simultaneamente por três horas seguidas em homenagem a sua memória devido ao seu virtuosismo nos instrumentos e seu excelente trabalho com os Carrilhões.

Lucia Hort tocando a obra de Van Eyck

Descubra mais sobre

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

6 thoughts on “JACOB VAN EYCK E OS CARRILHÕES

  1. João Henrique
    Oh! Meu querido!
    Van Eyck é um grande compositor.Suas composições não são fáceis de tocar. Na Holanda o estudo de flauta doce é muito valorizado e admirado. Ouvindo músicos que tocam com virtuosismo a obra dele, a nossa alma se encanta com a beleza de sua música.
    Obrigada
    Nilce

  2. plenamente apresentado por anna e lucia com bela maestria as composições deste renomado tambem flautista van eyck.realmente nos aproxima da paz e eleva nosso ser para mais perto de Deus . parabens madrinha pela selecao destes autores.

  3. Oi minha querida Aila
    Vc me emocionou falando assim.
    Sou de uma família de músicos. A música está no meu DNA. Meu pais eram músicos. Tenho irmão, tios, primos que se dedicaram à musica. Ela não me larga e eu não a largo.
    Obrigada querida!
    Grande abraço!
    Nilce

  4. Um texto bem elaborado. A música clássica está intimamente ligada aos desígnios divinos, não são poucos artistas que possuem essa ligação mais crística. E você Nilce, não toca flauta ao acaso, mas é uma maneira doce de expressar seu amor.

  5. LÉLIA
    Eu que o diga! Morro de estudar cada um dos ‘modos’. E na hora de tocar ainda erro. Olhando parece fácil, mas…umas cem vezes de estudo acho que ainda é pouco. Será que duzentas vezes é suficiente?
    Grata
    Nilce

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.