ALBERTO NEPOMUCENO, À FRENTE DO SEU TEMPO

Batuque – Alberto Nepomuceno – Orquestra Sinfônica Brasileira

Alberto Nepomucenoà frente do seu tempo 

Alberto Nepomucenoà frente do seu tempo – é considerado o Pai do Nacionalismo na Música Erudita Brasileira. Foi compositor, pianista, organista e regente brasileiro. Considera-se caracterizado desta forma na Série Brasileira, de 1897, para orquestra, em 4 movimentos, que contém uma versão da ‘Dança de negros’, peça do início de carreira, incorporada posteriormente à Série Brasileira, sob o título ‘Batuque’, que veio a se tornar a peça mais conhecida da obra. Tornou-se um defensor atuante das causas republicanas e abolicionistas no Nordeste. Participou de diversas campanhas. É o Patrono da cadeira n. 30 da Academia Brasileira de Música.

NEPOMUCENO E SUA INFÂNCIA

Ele nasceu em Fortaleza, Estado do Ceará, em 06/07/1864. Seu pai Victor Augusto Nepomuceno era violinista, mestre de banda, pianista  e organista da catedral de Fortaleza. Seu pai mudou-se com a família para o Recife quando ele tinha oito anos. Ele teve suas primeiras lições de violino e piano com o pai. Sua mãe se chamava Maria Virgínia de Oliveira Paiva. Entretanto quando ele tinha dezesseis anos, seu pai faleceu. Logo depois, ele foi trabalhar como tipógrago e começou também a dar aulas de música para sustentar a casa. Apesar de muitas dificuldades financeiras e com pouco tempo para os estudos, continuou se dedicando à musica com o professor Euclides Gonseca. Tomou aulas de alemão e filosofia com Tobias Barreto, tomando assim conhecimento das teorias darwinistas e spenceristas

ALBERTO NEPOMUCENO E O ABOLICIONISMO

 Nepomuceno tinha muitas ligações com amigos abolicionistas. Tinha muita afinidade com João Brígido e João Cordeiro. Passou então a colaborar em diversos jornais ligados a esta causa no Ceará. Sempre esteve envolvido também com os estudos musicais; resolveu então tentar uma ajuda da corte para estudar na Europa. Devido a essas atividades políticas, o governo imperial D. Pedro II indeferiu. Desta feita, teve necessidade de adiar um pouco este sonho enquanto procurava outros meios de custear a viagem. Ele, já naquela época, era considerado um dos principais compositores nacionalistas que defendia o uso da língua portuguesa na música clássica. A classe musical e a elite não aceitavam. A lingua usada ‘devia ser o alemão ou o italiano’ segundo os compositores e críticos da arte na época. Alberto Nepomuceno insistia na necessidade da utilização do idioma nacional na música de concerto, como uma forma de nacionalizar a linguagem musical.

NEPOMUCENO E SUA CARREIRA MUSICAL

Alberto Nepomuceno, precursor do Nacionalismo – Aos 18 anos, foi nomeado Diretor de Concertos do Clube Carlos Gomes. Transferiu-se para o Rio de Janeiro, atuando como pianista e professor de piano do Clube Beethoven. Com a ajuda de amigos influentes conseguiu então, a verba para seus estudos na Europa. Viajou então para seu destino em 1888. Estudou em Berlim com Heinrich von Herzogenberg interessando-se, sobretudo, pelo romantismo alemão, e em Roma estudou com Giovanni Sgambati quando reforçou seus conhecimentos com relação a música de John Sebastian Bach.  Em Paris aproveitou também para aperfeiçoar-se em órgão. 

NEPOMUCENO SE CASA COM UMA NORUEGUESA

Alberto Nepomuceno conheceu uma norueguesa violinista Anna Justina Walborg Bang, musicista talentosa que havia estudado no Conservatório Real de Bruxelas e casaram-se em 1893. Depois que se casaram moraram na casa de Edvard Grieg compositor famoso na Europa. Ele era um defensor da identidade nacional, o que foi de grande influência para Nepomuceno. Anna Justina foi uma defensora da música de seu marido e a presença dela e seu talento contribuíram significativamente para a carreira musical de Nepomuceno. Muitas vezes interpretou suas composições em concertos promovendo assim seu trabalho. 

A VOLTA AO BRASIL

Alberto Nepomuceno, à frente do seu tempo

Ele voltou ao Brasil em 1894 com sua esposa Anna. Ela exerceu uma profunda influência na criação de  seu marido. Dessa forma, Anna contribuiu para uma grande identidade nacional na música brasileira. Nepomuceno Sempre defendendo as suas posições, apesar de sofrer uma grande resistência do meio musical e da elite, havia assumido consigo mesmo um compromisso: desenvolver no nosso País uma identidade musical brasileira. Aqui, logo depois, em 1894 foi nomeado professor do Instituto Nacional de Música. E mesmo neste cargo teve muitas resistências com relação as suas posições musicais nacionalistas 

O LEGADO DE ALBERTO NEPOMUCENO

Alberto Nepomuceno deixou-nos um imenso legado. Compôs músicas de gêneros variados: música orquestral, música de câmara, música coral e ópera. Neste parágrafo vamos citar. “Série Brasileira”: uma obra famosa e foi um marco na música brasileira. É uma obra sinfônica composta por quatro movimentos, cada um representando uma característica diferente do Brasil. A obra inclui ritmos e melodias inspirados na música folclórica brasileira. “Artemis” : Esta é uma ópera em um ato, com libreto de Coelho Neto“O Garatuja” : Outra ópera, está com libreto de Coelho Neto baseado no romance de José de Alencar. “Batuque“: essa peça para piano solo é um exemplo de sua tentativa de incorporar ritmos afro-brasileiros na música erudita. “Abul”: Uma ópera em três atos, com libreto de Artur Azevedo baseado na peça de teatro homônima de França Júnior“Sinfonia em Sol menor” – uma de suas obras orquestrais mais importantes, que reflete seu estilo de composição maduro.

A ÓPERA INACABADA

Alberto Nepomuceno, um músico à frente do seu tempo

 Escreveu duas óperas completas, Artemis e Abul. A ópera O Garatuja, porém ficou inacabada; ela é baseada na obra de mesmo nome de José de Alencar. Mas Nepomuceno foi um músico à frente do seu tempo. Atualmente pesquisas recentes mostram que Nepomuceno compôs obras de caráter modernista, chegando a experimentar com a politonalidade nas Variações para piano, opus 29. A politonalidade é um conceito complexo:  consiste no uso de múltiplos centros tonais ao mesmo tempo. É uma carcaterística comum na música do século XX. É usada por Igor Stravinsky, Darius Milhaud e Béla Bartók. Imaginem então: Nepomuceno usou este conceito no século XIX. A sua Série Brasileira foi estreada em 1897 foi um marco importante do grande nacionalismo brasileiro, pela utilização de temas da música popular nacional e pelo clima brasileiro obtido na composição. 

ÚLTIMOS ANOS E PARTIDA

Alberto Nepomuceno é patrono da cadeira nº 30 da Academia Brasileira de Música. Faleceu no Rio de Janeiro em 16/10/1920. Mas observando a reação do público notamos que a importância de Alberto Nepomuceno não é reconhecida pelo público em geral. Ele foi pioneiro na criação de uma identidade musical brasileira, rompendo com a influência européia da época. Foi o primeiro compositor a incorporar elementos da música folclórica em suas composições eruditas. Villa Lobos mais tarde também foi responsável pela descoberta de uma linguagem peculiarmente brasileira em música. Veja Post sobre ele neste Blog: (https://conclavedesol.mastermusica.com.br/villa-lobos-brasilidade-em-acordes). Entretanto nos círculos acadêmicos, Nepomuceno é reconhecidop, sua música é estudada pelos pesquisadores e estudantes e suas composições são apresentadas em concertos e gravações.

Alberto Nepomuceno, à frente do seu tempo

Disse Alberto Nepomuceno defendendo as suas posições:

Não tem pátria um povo que não canta em sua língua”

Suíte Antiga – Alberto Nepomuceno -Orquestra Filarmônica de Goiás

Não deixem de ver o próximo Post : Angenor de Oliveira – o famoso Cartola

Fonte:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.